Fim do silêncio: AUTORIDADE INTERNACIONAL EM ECOLOGIA, EX-CHEFE DA FURG AFIRMA QUE “LAMA NA PRAIA É RESULTADO DA DRAGAGEM”

Governador, prefeito e Furg ainda não se manifestaram sobre as declarações do oceanógrafo e perito ambiental

O pesquisador que denunciou a existência de uma caixa-preta de informações não repassadas ao público sobre a tragédia da barragem de Mariana (MG) fez hoje o mais grave alerta sobre a dragagem do canal do porto do Rio Grande e o aparecimento de lama na praia do Cassino. O oceanógrafo Antônio Libório Philomena, especializado em Ecologia Humana pela Unisinos, perito ambiental e Ph.D em Ecologia pela University of Georgia (EUA), bateu forte ao dizer que “isto aqui é um lixão”, referindo-se às agressões ambientais registradas no mar e na região da Lagoa dos Patos. “Não tenho dúvidas que (a lama) é da dragagem”, afirmou Philomena em relação ao problema que está gerando embates entre autoridades gaúchas e federais. Para Libório Philomena, “só precisamos de documento para enfrentar isto”.

O oceanógrafo concordou em gravar sua posição em vídeo e foi ouvido pelo representante do Movimento SOS Cassino, Helder Salvá, neste domingo (16), na beira da praia, durante o protesto da comunidade pela presença na lama em 3,5 quilômetros da orla, em frente à localidade de Querência. “Eles não têm a coragem de fazer os testes que devem fazer”, alfinetou, ao condenar a omissão das autoridades que, assim, deixam de liberar documento comprobatório da culpa pelo aparecimento da lama. DESAFIO – O doutor em Ecologia fez questão de desafiar as autoridades para que respondam “quanto vale esta praia”, numa alusão ao prejuízo que o consórcio alegou que terá, no caso de suspensão da dragagem. Fez questão de elogiar a decisão tomada (depois revertida pelo governo federal) de suspender a dragagem até a elucidação sobre a causa do reaparecimento da lama na praia, justamente após a nova dragagem autorizada pelo governo. Philomena comparou o caso com a prisão de um criminoso. “Ele fica preso até que os advogados e a justiça esclareçam tudo. Enquanto isso, o cara fica preso”, asseverou. OUTRAS ACUSAÇÕES – O oceanógrafo denunciou também que em outras operações de dragagem do canal, a draga mal passava os molhes e já despejava os sedimentos. Também mencionou ser sabedor que navios largavam ‘esgotos’ em nossas águas, próximo do porto. O governador do estado, José Ivo Sartori (MDB), o prefeito do Rio Grande, Alexandre Lindenmeyer (PT) e a Reitoria da Fundação Universidade Federal do Rio Grande (Furg) ainda não se manifestaram sobre as declarações do oceanógrafo e perito ambiental, Antônio Libório Philomena, respeitada autoridade internacional na área científica, que se preparou, também, no Instituto de Oceanografia da Universidade de Louisiana, no sul dos Estados Unidos.

… Por Edson Costa

Compartilhar:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Confira o conteúdo completo do site